revista Pontos nos ii

A revista Pontos nos ii  foi lançada em Janeiro de 2006. Teve 11 números publicados e acabou de forma polémica, em Novembro do mesmo ano.

retirado daqui  :

«Na crónica publicada no Público de 4 de Dezembro de 2006 é-nos contada a história do silenciamento da revista “Pontos nos ii”, que de um dia para o outro, e de forma democraticamente inacreditável, ficou sem pontos e sem ii. Era um sinal claríssimo, inequívoco, de regresso da pata pesada do Estado sobre a sociedade civil e do cerceamento objectivo da liberdade de expressão do pensamento, de publicação da crítica, de uma prática elementar da democracia. »

Professor Manuel Ferreira Patrício, 
Presidente da AEPEC (Associação da Educação Pluridimensional e da Escola Cultural)


o fim da Pontos nos ii : artigo aqui

*
n.º 11, Novembro 2006
retirado daqui   :
Breve Descrição: A revista Pontos nos ii é um órgão de comunicação social especializado na área da Educação em todas as suas vertentes. Dirigida pelo Prof. Santana Castilho, um especialista neste sector, a Pontos nos ii pretende isso mesmo: colocar as coisas no seu devido sítio, com clareza, rigor, independência e eficácia comunicacional.

A dinamização dos debates das grandes questões nacionais, com voz para todas as opiniões, sem que isso signifique submissão ou abandono de opções próprias, é o objectivo a prosseguir, no interesse de todos quantos se preocupam com a Educação: pais e alunos, professores e auxiliares de acção educativa.

Sendo o futuro feito pelos mais jovens, a Educação e o Ensino são factores essenciais que devem ser amplamente discutidos, no respeito por princípios e valores de dignidade e honestidade.

*
retirado daqui :

Pontos nos ii estará à sua disposição na 2ª terça-feira de cada mês, com o jornal Público. Será a revista da Educação de que os professores necessitam: independente, rigorosa e intransigente com a demagogia dos poderes instituídos. Pontos nos ii pretende dinamizar o debate das grandes questões educacionais que se colocam à sociedade, porque acredita que não há democracias fortes sem a participação dos cidadãos. Nasce para ajudar a colocar a Educação no topo das prioridades nacionais. Pontos nos ii precisa da sua adesão. Consigo, as políticas da Educação têm que mudar. Uma iniciativa da Texto Editores.

*

curiosidade: não sei se Santana Castilho se inspirou em Rafael Bordalo Pinheiro quando escolheu o nome para a sua revista. Certo, certo, e ainda que um século as separe, é que as duas "Pontos nos ii" parecem ter sido igualmente incómodas,  nasceram com o mesmo propósito  interventivo e tiveram semelhante destino ...


retirado daqui :
De 1885 a 1891, (Rafael Bordalo Pinheiro) publica os “Pontos nos ii”, revista com idêntica intenção e semelhante na postura de defesa das causas portuguesas e de denúncia clara das manobras políticas, em que assumem particular relevo a “Questão com a Inglaterra”, o “Monopólio dos Tabacos”, o “Ultimatum” e a “Revolta do Porto de 31 de Janeiro”. É na sequência das empenhadas páginas dedicadas a este último acontecimento que o jornal é encerrado pelo Governo Civil de Lisboa, logo após o número de 5 de Fevereiro de 1891.


*
Os outros números da "Pontos nos ii" (clicar para ampliar)


nº 1, Janeiro 2006
n.º 2, Fevereiro 2006















n.º 3, Março 2006
n.º 4, Abril 2006














n.º 5, Maio 2006
n.º 6, Junho 2006














n.º7, Julho 2006
n.º 8, Agosto 2006














n.º9, Setembro 2006
n.º 10, Outubro 2006